sábado, 26 de dezembro de 2009

Brasil: o país da piada: http://g1.globo.com/Noticias/Politica/0,,MUL1416252-5601,00-CIDADE+NO+CEARA+CRIA+O+BOLSA+BODE.html

mais tarde eu volto pra falar de outras coisinhas...

domingo, 20 de dezembro de 2009

Oiee

Nossa, faz tempo que eu não passo por aqui!!
Bom, por incrível que pareça, eu tenho menos novidades quando estou de férias então não tenho muito pra contar... ainda! provavelmente irei para São Paulo em janeiro, mas ainda não posso afirmar nada com absoluta certeza.
Esses dias estive no centro da cidade fazendo umas comprinhas e acabamos encontrando algumas celebridades locais: os repórteres dos telejornais aqui de Londrina. Tirei foto com um deles, o Alberto D'Angele, olha só:


Uma simpatia de pessoa. Estava comendo antes de gravar a reportagem quando minha mãe e eu o abordamos. Foi no dia da inauguração das cabines telefônicas ao estilo londrino em homenagem ao aniversário da cidade.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Quarta-feira foi dia da minha prova na dança. Gente do céu, que medo! Tive que montar um trecho de coreografia para mostrar. Poxa, achei que ficou ruim, mas as meninas gostaram ao que me pareceu e acredito que eu passo de nível. Se quiserem ver, minha mãe filmou minha apresentação... só que ela gravou com o celular então esrá pouco nítido e de lado. Se alguém souber como virar o vídeo me avise por favor porque eu sou muito leiga para certas coisas. Ah, é! Eu comecei esse ano, portanto ainda estou no nível iniciante então, relevem tá? ^^"

video

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Uma coisa que eu não entendo é porquê os fins de ano são tão complicados pra mim. Todo mundo fala que chega dezembro o clima muda, fica tudo mais tranquilo. Comigo é totalmente o oposto! Eu sinto o mundo pesar. Nesse fim de ano no colégio acho que nem preciso repetir os fatos que ocorreram né? E até meu humor fica alterado e parece que o humor das outras pessoas que convivem comigo também. Talvez influênciados pela minha montanha-russa imagino.
Hoje, por exemplo, aconteceu um fato interessante com minha mãe e eu. Ela ficou chateada porque eu tentei ajudá-la com uns movimentos dos exercícios que ela está fazendo atualmente. Ela achou que eu estava achando ruim e criticando o que ela estava fazendo, quando era totalmente o contrário. Acontece que eu sei que se ela fizer repetidamente movimentos errados, isso pode acabar com a coluna e algumas articulações. Eu só estava tentando ajudar. Poxa, fiquei chateada. Quando acontecem coisas assim eu fico me perguntando se sou uma pessoa tão ruim assim a ponto de outras pessoas não perceberem quando eu estou brincando ou tentando ajudar. E o pior é que isso acontece direto.
Pesosas que não percebem que eu estou brincando ou tentando ajudar, pessoas que me abandonam, pessoas que me tratam como segunda, terceira, quarta, zilhonésima opção (não, não estou falando das mesmas pessoas, existem várias que se encaixam em um único perfil desses qu eu listei). Tudo isso acaba com a minha auto-estima. E depois ainda me perguntam porque eu sou tão fechada, ou irritada, ou desconfiada. Estou tentando me defender do mundo, né? Jáque todo mundo me entende errado...
O bom de tudo isso é que daqui a pouco janeiro está aí e as coisas melhoram. Um ar leve toma conta do meu clima estranho. Uma página em branco, limpinha, só pra mim. Onde eu vou poder escrever uma nova história, o que eu quiser nesse novo ano. Acertar arestas, fazer coisas novas e não repetir o que eu fiz de errado nesse ano velho (é díficil e eu falho na maioria das vezes, mas estou na luta!).
É isso. Bons dias para vocês e se eu não aparecer mais até 2010, um lindo natal e um feliz ano novo!

sábado, 5 de dezembro de 2009

Agora é só felicidade!!!!

Nem acredito q as férias chegaram finalmente!!! Alguns probleminhas se resolveram (né Ricardo?), outros ainda persistem, mas pelo menos estou afastada disso por dois meses. Ufa!!
A propósito, respondendo o comentário do Ricardo:
Achei ótimo que você tenha resolvido seus problemas com ela, até porquê eu lucrei com isso (ganhei meu amigo de volta). Na verdade eu já não tenho tantas esperanças com esse "todos" a que você se refere, mas está valendo. E eu atualizo o blog tá, seu chato? Eu não fico atualizando o tempo todo porque eu faço outras coisas além de ficar na internet ao contrário de umas outras pessoas, né Ricardo? --" Também te adoro (não tanto quanto adoro o "auguen" *-*)
Bem, voltando aos assuntos da minha vida...
Ontem, para comemorar o ínicio das férias, fui com meu namorado no shopping assim q terminou a aula. Almoçamos, vimos umas coisas legais, brincamos como dois bobos, fomos vigiados por seguranças (segundo meu namorado, todos primos do vigia do colégio que vive para implicar com a gente), fomos ao cinema. Não, não fomos ver Lua Nova. Peguei raiva total dessa série devido a vários acontecimentos relacionados (e ao próprio enredo também). Nada contra tá? Que fique claro. Fomos ver um filme chamado "Atividade paranormal". Olha, não foi nada assustador pra mim, muito menos pro meu namorado. Só tem dois sustinhos no final do filme e o cinema fica uns minutinhos no escuro total quando o filme acaba. Recomendado para quem quer quase exclusividade no cinema. Sala super vazia. Mas foi bacana. Só que já estou morrendo de saudades do meu namorado.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Ontem fui assistir ao filme 2012. Se alguém aí estiver interessado na minha opinião, é bacana de asistir. Só não espere lógica ou algo extremamente empolgante. Tem uns efeitos especiais bem legais, porém ainda tem muito filme que ganha. O enredo é até meio fraquinho e as explicações idem. Não recomendo aos cientistas de plantão (digo por cientista todo aquele que gosta da visão científica e preza a boa lógica).

------------------------------------------------------------------------------------------------------

Pensamento do dia (combina com meu humor de hoje) tirado de um livro que comecei a ler:

"Ficou do lado dos amigos porquer achou que era essa a sua obrigação. Matou-o a lealdade a pessoas que, num determinado momento, o traíram. Nunca confie em ninguém, Daniel, especialmente em relação às pessoas que você admira. Serão essas que irão desfechar os piores golpes."

A Sombra do Vento (Carlos Ruiz Zafón)

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Em se tratando de amor...

Ontem foi um daqueles dias em que fiquei no colégio também durante a tarde. Meu namorado foi para casa almoçar. Voltou pro colégio, me chamou pra ir lá no piso de cima, me tirou dos meus colegas de conversa. Foi um daqueles momentos que a gente não esquece. Estava chovendo. Foi então que ele me deu uma aliança, um anel de compromisso. Quase não me contive de tanta felicidade.
Quando cheguei em casa, minha mãe me pediu pra que eu não usasse a aliança ainda, que esperasse mais. Sabe, eu entendo as preocupações dela. E até concordo até certo ponto. Mas eu queria tanto usar a minha aliança...
Dizem que isso é um símbolo pra sociedade, que é pra mostrar para os outros o forte elo que nos une. Bem, eu adoraria mostrar isso tudo para o mundo.
Digamos que a minha definição para essa pecinha que tem me dado dor de cabeça ultimamente seja um pouco diferente do que alguns pensam.
Pra mim, a aliança é uma boa prova de amor. Você coloca uma argolinha de metal no dedo e mostra para as pessoas que você está com aquela pessoa, que você a ama, que você quer estar com ela por muito muito tempo. Que só aquela pessoa importa te importa e mais ninguém. Você assume o compromisso para o mundo.
Puxa, eu queria dar essa prova pra ele.
Hoje faz três meses que nós estamos namorando. Eu sei, é recente. Ainda é uma fase de muito encantamento e que depois a realidade se mostra mais. Mas sei lá... Eu já o conheço bem. Já nos conhecíamos há um bom tempo antes de nos descobrirmos apaixonados um pelo outro. Eu já conheço os defeitos dele, e ele os meus. Já o vi com cara de sono (e é a carinha de sono mais linda que eu já vi). Já o vi estressado. Temos alguns pontos de vista diferentes e já estamos lidando bem com isso até...
O que eu sinto por ele está cada vez mais forte... eu sei que eu nunca senti isso antes.
Mas, fazer o quê? Esperar né? Mãe é mãe.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Continuando na parte de relacionamentos:
Esse ano foi bem engraçado na questão amor. Um casal de amigos, que estava enrolado há um tempão, finalmente resolveram namorar (\o/). Eu comecei a namorar. Vários casais começaram a se formar. Quase todos na mesma época. Eu nunca tinha visto uma leva de casais como dessa vez.

E agora parece que alguns andam desandando. Dois casais já se desfizeram. Se bem que este casal já se desfez e se refez zilhões de vezes. De qualquer forma, vou esperar um tempinho pra ver se eles voltam ou se separaram de vez.

Ah sim. Já ia me esquecendo. Como isso envolve outras vidas, prefiro não citar nomes. Somente se eles souberem e autorizarem é que poderei usar seus nomes.

Enfim, vou nessa...

Bjoo

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Inaugurandoo

Olá,

Bem, estou aqui fazendo meu zilhonésimo blog. É um blog onde eu vou falar da minha vida, das minhas opiniões, das minhas imaginações, das minhas lembranças.
Sabe, sinceramente eu não sei se alguém vai ler esse blog. Acredito que não. Afinal, nenhum dos meus blogs vingou até agora...
Mas de qualquer forma eu vou continuar escrevendo mesmo que ninguém se interesse pelas minhas histórias. Você que está lendo este post agorinha mesmo, seja bem-vindo. Por favor, não pense que eu não me importo com os outros e que tanto faz se alguém vai ler ou não. É só que as pessoas não costumam se interessar pelas coisas que se passam na minha vida...
Eu gosto muito da minha vida, sou muito feliz. Só que as pessoas sempre esperam uma vida cheia de aventuras e perigos. Esperam a revolta, a rebeldia de uma adolescente. Esperam maus bocados... Minha vida não é assim! Ela é calma, sem atribulações. O máximo de apuros que eu passo é em brinquedos de parques de diversões, o que não conta nas exigências do povo. Mas nem por isso minha vida é monótona. Ela só parece monótona. Eu vivo cheia de coisas pra fazer, cheia de assuntos pra discutir, cheia de ideias a se pensar.

Se você gosta de histórias assim, se gostou do que leu aqui, bem, volte sempre!! ^^

E se você prefere histórias mais atribuladas, volte de vez em quando. Afinal, nunca se sabe quando uma aventura está prestes a começar...